Presidente da Bolívia acusa Uribe de ser agente dos EUA

PLAYA DEL CARMEN, México (Reuters) - O presidente boliviano, Evo Morales, acusou nesta terça-feira seu colega colombiano, Alvaro Uribe, de ser um agente dos Estados Unidos que busca impedir a criação de um novo organismo regional na América Latina e no Caribe que não inclui Washington. Morales disse a jornalistas durante a cúpula do Grupo do Rio no balneário mexicano de Playa del Carmen que Uribe provocou na segunda-feira uma acalorada discussão com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, para o fracasso do evento.

Reuters |

"Qual a minha conclusão? Como neste evento, na Cúpula da Unidade da América Latina e do Caribe, viemos debater uma nova organização sem os Estados Unidos, os agentes dos Estados Unidos estão tentando atolar e fracassar (a criação do novo organismo)", disse Morales.

Segundo o presidente boliviano, um aliado de Chávez, o mandatário venezuelano ouviu as reclamações de seu par colombiano e quando respondeu, Uribe interrompeu-o repetidamente.

A discussão entre Uribe e Chávez e as declarações de Morales deixaram evidentes as fissuras na região apesar dos esforços de unidade regional.

No passado, Morales criticou Uribe pela decisão de assinar um acordo com Washington que autoriza militares norte-americanos a utilizar sete bases na Colômbia para realizar operações contra o narcotráfico e o terrorismo.

O governo colombiano não reagiu às declarações de Morales.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG