Presidente da Alemanha renuncia ao cargo

Horst Köhler anuncia renúncia após polêmicas declarações sobre missiões internacionais do Exército alemão

EFE |

O presidente da Alemanha, Horst Köhler, anunciou nesta segunda-feira sua renúncia "com efeitos imediatos" do cargo de máxima autoridade do país poucos dias após polêmicas declarações no Afeganistão sobre as missões internacionais do Exército alemão.

A interpretação que supostamente havia defendido uma intervenção anticonstitucional do Exército alemão (Bundeswehr) para garantir os interesses econômicos da Alemanha não precisa de justificativa, disse Köhler ao anunciar sua inesperada renúncia.

© AP
Horst Köhler anuncia que deixa o cargo na Alemanha
"Lamento que minhas declarações tenham conduzido a um mal-entendido", ressaltou o presidente alemão à imprensa, mostrando-se constrangido pela polêmica aberta. Nos últimos dias, ele havia sofrido inúmeras críticas por parte da imprensa.

Durante a viagem de volta de uma visita surpresa ao Afeganistão na semana passada, Köhler manifestou à imprensa que as missões do Bundeswehr no exterior têm sua justificativa também pela salvaguarda dos interesses econômicos da Alemanha.

Após começar a polêmica, seu porta-voz afirmou que o presidente da Alemanha não tinha se referido especificamente à missão no Afeganistão, mas às missões das Forças Armadas alemãs em território estrangeiro em geral.

Na sexta-feira passada, por meio de outro porta-voz, a chanceler alemã, Angela Merkel, não quis comentar as declarações de Köhler com o argumento de que o presidente já as havia explicado e que não havia "nada a acrescentar".

Horst Köhler, que tinha sido reeleito presidente da Alemanha em 2009 por um mandato de cinco anos, assinalou que tinha comunicado sua decisão ao presidente rotativo da câmara alta (Bundesrat) do Parlamento alemão, o social-democrata Jens Böhrnsen, que assumirá interinamente a chefia do Estado.

    Leia tudo sobre: AlemanhaBerlim

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG