Presidente costarriquenho critica retorno de Zelaya a Honduras

San José, 24 jul (EFE).- O presidente da Costa Rica, Óscar Arias, afirmou hoje que a entrada em Honduras do presidente deposto do país Manuel Zelaya não é o caminho para resolver a crise hondurenha e defendeu a ratificação do acordo proposto por ele.

EFE |

"Graças a Deus foi uma visita curta e não teve consequências que precisemos lamentar, mas esse não é o caminho para a reconciliação do povo hondurenho", disse Arias em entrevista coletiva.

Ele acrescentou que se for verdadeiro o desejo de "resolver o conflito que divide e polariza a população hondurenha, tem que ser através de um acordo e o melhor acordo que está sobre a mesa é o de San José, que recebeu o apoio quase unânime do mundo inteiro".

Zelaya cruzou hoje a fronteira da Nicarágua com Honduras e, após permanecer duas horas em zona neutra, retornou ao primeiro país à espera de dialogar com a Chefia do Exército de Honduras, onde houve alguns tumultos e manifestações.

O presidente costarriquenho reiterou que "o mais sensato é se sentar para negociar", pois esta é "a única forma de retornar a ordem constitucional a Honduras e de ele (Zelaya) ser restituído" no cargo.

Na quarta-feira, Arias apresentou na Costa Rica o "Acordo de San José", que contém como ponto principal a conformação de um Governo de união nacional presidido por Zelaya, assim como anistias políticas e a antecipação em um mês das eleições de 29 de novembro.

A delegação do presidente interino, Roberto Micheletti, disse que estudaria a proposta antes de responder, enquanto o grupo que representava o presidente deposto deu por fracassado o processo de mediação. EFE dmm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG