O presidente colombiano Alvaro Uribe revelou nesta quarta-feira que as autoridades o estão investigando por uma denúncia de um preso de que ele teria participado em uma reunião para planejar um massacre ocorrido em 1997 e no qual foram assassinadas 15 pessoas.

O presidente fez essa revelação um dia depois de seu primo e sócio, Mario Uribe, ter sido preso e acusado de ter ligação com os paramilitares, em um processo que já levou para a cadeia outros 31 parlamentares, em sua maioria da situação.

Uribe criticou os setores da justiça, advertindo que preciso 'ter cuidado com o imaginário dos bandidos que estimulam acusações contra gente honrada'.

O presidente enfatizou que seus advogados estão reunindo todas as informações de suas viagens para provar que nunca foi a Caucana (Antioquia), local da suposta reunião.

cop/hov/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.