Presidente colombiano lamenta ordem de prisão contra seu primo

Bogotá, 22 abr (EFE).- O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, lamentou a decisão da Procuradoria Geral do país de ordenar a prisão de seu primo, o ex-senador Mario Uribe Escobar, por suposta ligação a grupos paramilitares.

EFE |

"Assumo esta dor com patriotismo sem míngua no cumprimento das minhas responsabilidades", expressou o presidente em um breve comunicado lido pelo secretário de Imprensa da Presidência colombiana, César Mauricio Velásquez.

Escobar, que já chegou a presidir o Congresso colombiano, renunciou em outubro passado a sua cadeira no Senado.

O motivo da demissão foi o fato de a Corte Suprema ter determinado uma investigação após uma denúncia contra ele feita por um ex-membro do grupo Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC).

O primo de Álvaro Uribe, natural do departamento (estado) de Antioquia, liderou o partido Colômbia Democrática, que apoiou nas eleições de 2006 a reeleição do atual presidente.

O ex-congressista pediu hoje asilo político na embaixada da Costa Rica em Bogotá, pouco depois que a Procuradoria colombiana ordenou sua detenção.

O pedido foi negado, segundo o Ministério das Relações Exteriores do país centro-americano. EFE gta/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG