Presidente colombiano acusa Farc de querer enganar o país

O presidente colombiano, Alvaro Uribe, acusou as Farc, neste sábado, de querer enganar o país, depois que a guerrilha libertou seis reféns, esta semana, que foram entregues a uma comissão civil.

AFP |

"Não vamos permitir agora que nos enganem, tentando nos desorientar. Produz sangue, mas fala de paz", disse Uribe, em um ato público na cidade de Villavicencio (90 km ao sudeste de Bogotá).

A advertência de Uribe parece se antecipar a uma proposta que o líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Alfonso Cano, fez chegar na sexta-feira à senadora da oposição Piedad Córdoba, que recebeu os seis seqüestrados por exigência do grupo guerrilheiro.

Embora Piedad vá anunciar apenas na segunda-feira o conteúdo da mensagem de Cano, de acordo com a edição de hoje do jornal "El Tiempo", de Bogotá, o chefe das Farc propõe a realização da troca humanitária, alegando que a guerrilha cedeu e não tem mais reféns políticos.

Uribe se opõe a que os guerrilheiros soltos, em troca dos policiais e militares ainda em cativeiro, retornem às filas insurgentes, como exigem as Farc.

Essa é a segunda vez em uma semana que o presidente acusa as Farc de tentar enganar o país.

pro/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG