Presidente chinês faz primeira visita ao Japão em dez anos

O presidente da China, Hu Jintao, chegou nesta terça-feira ao Japão, dando início a uma visita de Estado de cinco dias - a primeira de um chefe de Estado chinês ao vizinho em dez anos. A agenda do encontro com o primeiro-ministro Yasuo Fukuda inclui a discussão de temas bilaterais, como comércio, segurança e exploração de petróleo e gás, e uma partida de tênis de mesa a ser disputada pelos dois chefes de Estado.

BBC Brasil |

A correspondente da BBC em Tóquio Chris Hogg disse que os dois lados esperam que esta viagem seja lembrada pelo desejo mútuo de avançar em áreas em que pode haver cooperação, em vez de temas nos quais há divergência.

Segundo ela, Japão e China devem assinar um acordo para combater a mudança climática, embora porta-vozes oficiais tenham admitido que não há consenso em relação a uma proposta de explorar conjuntamente reservas de petróleo e gás no mar do Leste, sobre as quais ambos os países clamam soberania.

A relação entre os dois vizinhos foi turbulenta na década passada. A China suspendeu os contatos de alto nível com o Japão entre 2001 e 2006, durante o governo do premiê japonês Junichiro Koizumi.

O ex-premiê irritou o vizinho diversas vezes ao visitar o santuário de Yasukuni, em Tóquio, que homenageia os mortos da Segunda Guerra Mundial e, para muitos, glorifica o militarismo.

Melhora
A visita de Hu Jintao será a mais longa dele a um só país. Por isto, analistas a interpretam como sinal importante de uma melhora nas relações sino-japonesas.

É também a primeira visita do presidente chinês ao exterior desde os episódios violentos no Tibete, em março.

Em sua chegada a Tóquio, embora ativistas protestassem exibindo cartazes de "Tibete livre", o líder chinês encontrou um multidão receptiva, que entoava cânticos de boas-vindas e oferecia flores.

"O Japão e a China são países importantes na Ásia e no mundo", disse Hu, em um comunicado divulgado na chegada. "(A visita) melhorará a amizade e a cooperação entre os dois países."
Mais cedo, Hu havia dito que esperava dar início a uma "eterna e calorosa primavera de amizade" entre os vizinhos.

A China está interessada em atrair tecnologia e investimentos japoneses para seu desenvolvimento, ao passo que o Japão está de olho no cada vez maior mercado consumidor chinês.

Com uma corrente de comércio superando os US$ 236 bilhões no ano passado - 12% a mais que no ano anterior -, a China já passou os Estados Unidos como o principal parceiro comercial do Japão.

    Leia tudo sobre: bbc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG