A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, empossou nesta quarta-feira seu novo chefe de Gabinete, Aníbal Fernández, e os novos ministros da Economia, Amado Boudou, e da Justiça, Julio Alak.

Kirchner anunciou algumas mudanças em seu gabinete dez dias depois da dura derrota sofrida nas eleições legislativas que deixou o governo sem maioria parlamentar.

A cerimônia foi simples e formal, e a presidente argentina preferiu não fazer discursos ou dar declarações durante a posse dos novos ministros.

Aníbal Fernández deixou o ministério da Justiça, Segurança e Direitos Humanos para assumir a chefia de Gabinete. Sergio Massa, que ocupava o cargo, voltará a ser prefeito da cidade de Tigre, na periferia norte de Buenos Aires.

Boudou, por sua vez, saiu da Administração Nacional de Segurança Social (ANSES) para assumir o ministério da Economia, substituindo Carlos Fernández, que apresentou sua renúncia na terça-feira.

"Estou muito contente e com muita força", limitou-se a responder um exultante Boudou à imprensa, após pronunciar o juramento de posse.

A pasta da Justiça será assumida por Julio Alak, que presidia a reestatizada Aerolíneas Argentinas, que agora é coordenada pelo advogado trabalhista Mariano Recalde.

Já a ANSES foi assumida por Diego Bossio, ex-diretor do Banco Hipotecário.

ls/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.