Buenos Aires, 2 jul (EFE).- A presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, classificou como uma vitória da vida e da liberdade a libertação hoje da ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, que passou mais de seis anos como refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

"Os senhores sabem do meu compromisso com essa causa. É uma vitória da vida e da liberdade, dos valores, talvez os mais importantes em um país onde se perderam tantas vidas", declarou o governante, ao falar durante um ato público realizado em uma fábrica.

A chefe de Estado argentina cumprimentou a mãe da ex-candidata, Yolanda Pulecio, e a própria Betancourt, que foi resgatada hoje sã e salva por parte do Exército colombiano, segundo anunciou nesta quarta o ministro da Defesa de Bogotá, Juan Manuel Santos.

"Eu acredito muito em Deus e também nos sinais. Quando entrava na fábrica me informaram que na Colômbia tinha sido obtida a libertação de Ingrid Betancourt", destacou Cristina, despertando aplausos por parte do público presente.

Em uma visita à França realizada em abril último, Cristina participou de uma passeata pela libertação de Betancourt. Na ocasião, tinha pedido que os "obstáculos" que impediam a libertação da ex-candidata fossem eliminados.

A presidente argentina tinha solicitado também a seu colega colombiano, Álvaro Uribe, que fizesse um gesto de aproximação, porque os direitos humanos devem "prevalecer sobre qualquer outra questão".

Cristina também esteve reunida este ano com a mãe de Betancourt e com a senadora colombiana Piedad Córdoba, ex-mediadora para uma troca humanitária com as Farc. EFE ms/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.