Presidente afegão escapa de atentado em parada militar

Pelo menos uma pessoa morreu e onze ficaram feridas em um atentado suicida durante um desfile militar no centro de Cabul, que contou com a presença do presidente Hamid Karzai, entre outros políticos importantes.

BBC Brasil |

Forças de segurança cercaram Karzai e centenas de pessoas fugiram após o tiroteio iniciado depois de uma explosão. Há relatos de que dois parlamentares teriam ficado feridos.

O desfile militar marcava os 16 anos da queda do governo afegão apoiado pela União Soviética pela mão dos mujahedin. Após o atentado, o presidente Karzai apareceu ao vivo em cadeia nacional de televisão para acalmar a população. Um porta-voz do Taleban disse que o movimento assume a autoria do atentado.

Segundo o porta-voz, seis militantes armados foram posicionados perto do desfile com bombas atadas ao corpo. Três deles foram mortos e outros três presos, disse o porta-voz.

Calma

No comunicado transmitido pela TV, Karzai confirmou as prisões: "Felizmente as forças de segurança afegãs cercaram (os responsáveis) rapidamente. Alguns deles foram capturados". "Tudo está calmo, fiquem tranquilos", disse Karzai.

O hino nacional estava sendo tocado quando começou o ataque no desfile, o evento militar mais importante do calendário afegão.

Imagens ao vivo da TV mostraram o presidente Karzai em pé em um grande palanque, cercado por vários parlamentares, membros do gabinete, comandantes militares e diplomatas estrangeiros.

Os embaixadores dos Estados Unidos e do Reino Unido e o comandante militar da Otan estavam entre os presentes.

Uma explosão ocorreu ao fim de uma salva de tiros, seguida por um tiroteio. A transmissão ao vivo do evento pela TV foi suspensa pouco depois.

Segundo o correspondente da BBC em Cabul Alastair Leithead, havia uma sensação de pânico nas ruas, com as pessoas sem saber o quão sério tinha sido o atentado. Vários soldados que participavam do desfile também foram vistos fugindo.

O evento foi cancelado pouco depois e a polícia e os militares assumiram o controle da área.

    Leia tudo sobre: afeganistãotaleban

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG