Presidente afegão condena mortes de civis em ataque aéreo

Por Jonathon Burch CABUL (Reuters) - O presidente do Afeganistão Hamid Karzai condenou no sábado um ataque promovido pela coalizão liderada pelos EUA que seu governo diz ter matado 76 civis, a maior parte mulheres e crianças.

Reuters |

As mortes de civis são uma questão sensível aos afegãos, muitos dos quais sentem que as forças estrangeiras tomam pouco cuidado ao promover ataques aéreos. O apoio à presença de tropas internacionais está caindo e demonstrações anti-EUA irromperam no país neste sábado.

Esse tema tem levado a um conflito entre o governo afegão e seus apoiadores no Ocidente, com Karzai dizendo recentemente que os ataques aéreos estrangeiros não conseguiram nada além das mortes de civis.

'O presidente afegão Hamid Karzai condena fortemente o descoordenado ataque aéreo das forças de coalizão no distrito de Shindand da província de Herat, que resultou na morte de pelo menos 70 pessoas incluindo mulheres e crianças', disse o gabinete presidencial em um comunicado.

O exército dos EUA diz que apenas militantes armados do Taliban foram mortos no ataque de sexta-feira.

Centenas de pessoas fizeram uma manifestação em Shindand no sábado, dizendo que os norte-americanos deveriam se retirar da região.

'Nós vamos continuar nossa manifestação até que a comunidade internacional nos ouça e traga aqueles que promoveram o ataque de ontem à Justiça', disse o ancião Shah Nawaz à Reuters.

Segundo as Nações Unidas, aproximadamente 700 civis foram mortos nos primeiros seis meses deste ano, 255 deles pelo governo do Afeganistão e as tropas internacionais, e o restante por militantes do Taliban.

No ataque de sexta, as aeronaves alvejavam um conhecido comandando taliban no distrito, depois que forças afegãs e de coalizão foram atacadas por insurgentes, disse o exército dos EUA.

Ainda segundo o exército, 30 militantes, incluindo um comandante taliban, foram mortos no ataque e apenas dois civis foram feridos.

O Ministério do Interior do Afeganistão disse que as forças de coalizão bombardearam o bairro de Azizabab, no distrito de Shindand, na sexta-feira, matando 76 civis, incluindo 19 mulheres, sete homens e o restante crianças abaixo de 15 anos.

O enviado das Nações Unidas ao Afeganistão, Kai Eide, disse estar a par do conflito e pediu que o incidente seja investigado 'rápida e profundamente' antes que qualquer conclusão seja tomada.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG