Bruxelas, 13 jun (EFE) - A Presidência eslovena da União Européia (UE) lamentou hoje a rejeição irlandesa ao Tratado de Lisboa, mas lembrou que não é a primeira vez que a Europa enfrenta um problema como este e ressaltou que sempre foram encontradas soluções para seguir em frente. O primeiro-ministro esloveno, Janez Jansa, cujo país ocupa neste semestre a Presidência de turno da União Européia, fez as declarações após saber da vitória do não no plebiscito irlandês. Em entrevista em Liubliana, Jansa lamentou a rejeição a um texto necessário para fazer uma Europa mais eficiente, democrática e transparente. Após falar por telefone com muitos chefes de Estado e de Governo sobre o resultado da consulta na Irlanda, Jansa assegurou que os líderes da UE estão decididos a continuar avançando na aplicação das soluções que recolhe o Tratado de Lisboa. Sobre se será possível fazer isso sem o apoio unânime dos 27 ao texto, Jansa reconheceu que é ainda cedo demais para especulações. Ele defendeu uma reflexão cuidadosa nos próximos dias e realizar, em seguida, um primeiro debate na cúpula que reunirá os líderes na semana que vem em Bruxelas. Em qualquer caso, Jansa deixou claro seu respeito à vontade dos eleitores irlandeses e antecipou que pedirá ao primeiro-ministro irlandês, Brian Cowen, que explique as razões da rejeição na cúpula da semana que vem. Nesse encontro, avaliaremos a situação e buscaremos a maneira de continuar avançando, acres...

EFE epn/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.