Presépio com Hugo Chávez diante da manjedoura causa polêmica

Presidente venezuelano e suas políticas mais populares estão representados na cena tradicional cristã em Caracas

Reuters |

Na Bíblia, pastores e sábios prestam homenagem ao recém-nascido Jesus. Na Venezuela, parece que Hugo Chávez também apareceu na manjedoura.

Uma cena de um presépio em Caracas mostrando o presidente socialista em frente à manjedoura transformada em berço provocou polêmica no país. "Não tem nada a ver com a Natividade real, com a religião. Não gosto disso", disse Arnaldo Amundaray, que passava pelo local.

Leia também: Lula acha que a careca dele é mais bonita, diz Dilma a Chávez

Reuters
Boneco do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, é colocado em presépio em Caracas

Para os partidários de Chávez e os criadores do presépio, a cena é um tributo legítimo e inocente a seu líder. "A intenção é mostrar todos os feitos da revolução porque a mídia silencia sobre as coisas boas que o presidente Chávez tem feito", disse Maria Alejandra Mijares, funcionária do Ministério da Mulher que ajudou a erguer a cena do presépio.

O modelo traz a cena tradicional cristã em destaque, mas também politiza a Natividade prestando homenagem a algumas das políticas mais populares de Chávez durante seus 13 anos de governo.

Para simbolizar suas façanhas na área da infraestrutura, há um teleférico em miniatura até a réplica de uma favela. Os projetos sociais que são bandeiras do governo, como as clínicas de Barrio Adentro, também estão representadas. No meio de tudo - em frente e abaixo do berço de Jesus - está Chávez, perto de Simón Bolívar, o herói da independência do século 18. Em outro lugar há uma foto de Chávez segurando uma criança.

"Como o cristianismo, a revolução fala de amor", disse outra funcionária do Ministério da Mulher, Yasmina Ereu. "Algumas pessoas estão fascinadas. Outras não gostam. Mas esse é um país democrático, todo mundo pode dar sua opinião."

Chávez, 57 anos, tem uma filosofia de vida sincrética, saudando tanto Marx quanto Jesus - algumas vezes no mesmo discurso - enquanto apela constantemente ao espírito de Bolívar.

Ele inspira ódio visceral nos inimigos, que o enxergam como um ditador que atrasou seu país em anos com políticas radicais e estilo autoritário. Os simpatizantes, principalmente nas regiões mais pobres da Venezuela, costumam exibir um amor quase religioso. Os dois lados estão de olho na eleição presidencial de outubro.

Perto do presépio, em uma loja no antigo Hotel Hilton que foi nacionalizado por Chávez há alguns anos, há uma venda de bonecas, camisetas, canecas e outras parafernálias adornadas com sua imagem.

Reuters
Criança olha para o presépio de Caracas que contém bonecos de Hugo Chávez e Simón Bolívar

"Oitenta por cento dos venezuelanos estão com ele. Esse processo não vai parar", disse o vendedor Carlos Bonilla. Questionado sobre se as vendas continuariam fortes após a reeleição de Chávez no próximo ano, ele e um casal de amigos riram confiantes e apertaram o botão de um boneco feito na China para que o "comandante" desse a resposta: "Não há dúvida sobre quem tem a maioria na Venezuela!"

    Leia tudo sobre: chávezpresépiovenezuelanatalbolívar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG