Presente causa mal-estar entre Florença e cidade chinesa

As cidades de Florença, na Itália, e Ningbo, na China, estão à beira de um conflito diplomático porque os florentinos se recusam a permitir que duas esculturas doadas pelos chineses sejam instaladas na cidade. Tudo começou quando a prefeitura de Florença decidiu doar à cidade de Ningbo uma réplica em bronze da estátua de David, do artista italiano Michelangelo.

BBC Brasil |

A intenção das autoridades italianas era reforçar os laços comerciais entre as duas cidades.

Os chineses decidiram retribuir o presente e doaram aos florentinos duas enormes esculturas de pedra com quatro metros de altura, pesando quatro toneladas cada uma. As obras, representando um guerreiro e um burocrata, são reproduções de figuras da dinastia Tang.

O presente chinês foi acompanhado de instruções específicas sobre o tipo de ambiente em que as esculturas deveriam ser instaladas, em um local cercado de verde e com água corrente.

Mas contrariando os desejos dos chineses, as esculturas estão guardadas em um armazém desde sua chegada a Florença, há um ano. Os moradores da cidade se recusam a permitir que as esculturas, que consideram de mau gosto, sejam expostas.

"O problema é que as esculturas não se encaixam na estética da cidade", diz Annalisa Piras, correspondente da revista italiana L'Espresso, em entrevista à BBC.

"O senso de beleza dos florentinos é tão desenvolvido que não é surpresa eles terem dificuldade em aceitar essas esculturas", acrescenta Piras. "Esses gigantes não têm nada a ver com a beleza e o estilo clássico da cidade."

Delegação

A jornalista italiana admite, no entanto, que o intercâmbio cultural idealizado pela prefeitura de Florença envolve dois movimentos: dar e receber.

"Florença é considerada uma cidade progressista, mas tudo tem um limite e, nesse caso, o limite é a estética da cidade", afirmou Piras.

"Florença deu ao mundo o Renascimento", acrescentou. "Ao longo da história, os próprios moradores da cidade pagavam pelas obras nas igrejas e pelos monumentos. Eles têm muito orgulho dessa tradição."

Agora, a prefeitura de Ningbo decidiu enviar uma delegação a Florença para inspecionar as esculturas, e as autoridades florentinas estão em busca de um local apropriado para as peças. Os chineses devem chegar a Florença no próximo dia 25.

De acordo com o jornal italiano Corriere della Sera, funcionários da prefeitura de Florença temem que os chineses decidam destruir o David doado pelos italianos como retaliação.

Em busca de uma saída para a crise, o jornal local Corriere Fiorentino criou um fórum online para pedir que os moradores sugiram lugares apropriados para a instalação das peças.

Leia mais sobre China - Itália

    Leia tudo sobre: chinaitália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG