Roma, 7 jul (EFE).- As forças de segurança italianas prenderam hoje 35 pessoas, nas primeiras manifestações antiglobalização realizadas nesta manhã, em Roma, e a outras cinco em LAquila, com tacos de beisebol e barras de ferro em uma caminhonete.

Segundo a imprensa italiana, os detidos em L'Aquila, onde será realizada, a partir de amanhã, a reunião do G8, foram denunciados por posse de "objetos lesivos" e colocados posteriormente em liberdade.

Os cinco, de nacionalidade francesa e de idades entre os 25 e os 35 anos, foram obrigados pelos agentes a abandonar o território de L'Aquila.

Em Roma, os manifestantes incendiaram várias lixeiras e pneus em uma das principais vias da cidade e bloquearam o acesso à estrada que conecta a capital à cidade de L'Aquila por 20 minutos.

Os agentes apreenderam barras de ferro, tacos, entre outros objetos.

Além disso, 300 pessoas se concentraram na Universidade de La Sapienza, a maior de Roma, para protestar contra as detenções.

Os manifestantes lançaram pedras contra os caminhões da Guarda de Finanças (a Polícia financeira e de fronteiras italiana) que se encontram na frente da sede.

Os estudantes também ocuparam as reitorias das universidades de Palermo e Bolonha, depois de terem ocupado ontem a Universidade Estatal de Milão, a Universidade Federico II de Nápoles e a própria Universidade de La Sapienza. EFE if/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.