O primeiro-ministro paquistanês, Yusuf Raza Gilani, reiterou neste sábado que seu país não deseja uma guerra com a Índia, mas que responderá em caso de provocação, em um clima de tensão após os atentados de Mumbai.

Gilani fez a afirmação durante um ato em memória da ex-premier Benazir Bhutto, assassinada há exatamente um ano.

"Não queremos agressões com nossos vizinhos. Queremos relações amistosas", disse Gilani.

"Não seremos os primeiros a empreender nenhum tipo de aventura infeliz, mas somos capazes de defender nosso querido país".

Na sexta-feira, a tensão entre os dois países vizinhos e potências nucleares aumentou quando fontes do governo paquistanês revelaram o deslocamento de tropas da fronteira com o Afeganistão para a fronteira com a Índia.

O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, reuniu os comandantes militares e aconselhou os indianos a não viajar para o Paquistão.

As relações entre os dois países são cada vez piores desde os atentados do mês passado em Mumbai, cometidos, segundo Nova Délhi, por terroristas paquistaneses.

sst/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.