Islamabad, 23 set (EFE).- O primeiro-ministro do Paquistão, Yousaf Raza Gillani, afirmou hoje que seu Governo dotará as autoridades de todos os recursos necessários para lutar contra os atos de terrorismo e dar uma sensação completa de segurança ao povo paquistanês.

O chefe de Governo teve hoje uma reunião com um grupo de analistas militares, policiais, de inteligência e de segurança, na qual foi informado sobre os detalhes do atentado de sábado contra o Hotel Marriott de Islamabad.

No encontro, foi revisada a situação geral de segurança no país, com especial atenção à capital, que sofreu vários atentados este ano.

Gillani "ressaltou a necessidade de minimizar o tempo de resposta durante este tipo de desastres", segundo o comunicado oficial.

O primeiro-ministro decidiu criar uma comissão liderada pelo ministro do Interior, Rehman Malik, que nos próximos três dias "revisará conscientemente o atual sistema de gestão de desastres, identificará suas deficiências e fará recomendações".

Enquanto isso, as tarefas de reforma do luxuoso hotel, onde pelo menos 53 pessoas morreram e 266 ficaram feridas, continuaram hoje pelo segundo dia.

Vários operários começaram a repintar de branco a estrutura do hotel, tomado pelas chamas, e o Governo ordenou a transferência dos mais de 100 automóveis destroçados pela explosão à estação central de Polícia, segundo o canal "Geo TV".

As autoridades, que ontem submeteram os caminhões que entravam na capital paquistanesa a uma severa busca, diminuíram hoje a intensidade dos controles, segundo a emissora privada "Dawn".

Um caminhão carregado com 600 quilos de explosivos detonado por um suicida destruiu o Hotel Marriott.

Por enquanto, as forças da ordem detiveram cinco pessoas envolvidas com o atentado, reivindicado ontem por um grupo fundamentalista desconhecido, Fedayin al-Islam (Comandos do Islã), através de uma rede de televisão árabe. EFE igb/wr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.