O primeiro-ministro japonês Yasuo Fukuda se negou a convocar eleições antecipadas ou a mudar o gabinete, em uma entrevista coletiva concedida após uma turbulenta sessão parlamentar.

"Eu sempre me pergunto se chegou o momento de uma dissolução da Câmara Baixa para convocar eleições antecipadas. Porém, primeiro temos que aplicar políticas, ao invés de perturbar o povo. Este é meu dever", disse.

O governo de Fukuda sofreu uma grande perda de popularidade após a aprovação de um polêmico plano de assistência médica para os idosos.

A oposição, que obteve o controle do Senado há quase um ano, humilhou Fukuda no início do mês com a aprovação de uma moção de censura sem precedentes.

Porém, o premier não está obrigado a convocar eleições gerais até setembro de 2009.

si/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.