Tóquio, 2 ago (EFE).- O primeiro-ministro do Japão, Yasuo Fukuda, disse que se esforçará ao máximo com sua nova equipe de Governo para combater o aumento do preço do petróleo e realizar mudanças no serviço público, eliminando despesas desnecessárias.

Fukuda leu um comunicado na cerimônia de posse dos novos ministros de seu Governo, realizada hoje no Palácio Imperial.

"Estarei comprometido com os desafios do presente e a promover reformas do ponto de vista dos cidadãos, visando o futuro do Japão e do mundo", disse Fukuda, citado pela agência local de notícias "Kyodo".

Outro desejo do premier japonês é estabelecer além disso uma relação aberta com os países da região da Ásia-Pacífico, com base na parceria com os EUA.

Fukuda igualmente se comprometeu a solucionar o processo de desnuclearização da Coréia do Norte e a questão dos seqüestros de cidadãos japoneses durante os anos 70 e 80 por parte de agentes norte-coreanos.

Os novos ministros, por sua vez, decidiram reduzir em seu salário em 10% como prova do compromisso com a missão do Governo japonês de revitalizar a economia japonesa.

Os ministros do novo gabinete de Fukuda juraram hoje seus cargos após terem sido anunciados na sexta-feira.

Mesmo com dez meses à frente do Executivo, este é o primeiro Governo a ser nomeado por Fukuda - 15 dos 17 ministros que ocupavam os cargos até agora faziam parte do gabinete de seu antecessor, Shinzo Abe, que renunciou em setembro de 2007 em meio a escândalos de corrupção e falta de liderança.

Fukuda, de 72 anos, remodelou 13 pastas, mas manteve os dois maiores nomes do Executivo: Nobutaka Machimura, de 64 anos, como ministro porta-voz, e Masahiko Komura, de 66 anos, como chefe da diplomacia japonesa.

As principais mudanças são relativas à cúpula econômica do Governo, lideradda por dois veteranos do Partido Liberal-Democrata (PLD): Kaoru Yosano, de 70 anos, estará à frente do Ministério da Economia, enquanto Bunmei Ibuki, de 69, trocará o cargo de secretário-geral da legenda para assumir as Finanças.

Outras pastas com estreantes no cargo são Agricultura, Comércio, Infra-estruturas e Transporte e Serviços Financeiros - todas relacionadas à economia.

A nova composição de Governo deverá também se preparar às eleições na Câmara Baixa, a serem realizadas até setembro do ano que vem. EFE icr/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.