O primeiro-ministro da Irlanda, Brian Cowen, afirmou neste domingo que não existe uma solução evidente para a crise institucional da União Européia (UE) após a rejeição dos eleitores irlandeses ao Tratado de Lisboa.

"Meu trabalho é garantir que nossos interesses não sejam sufocados, preservá-los, defendê-los (...), para tentar buscar saídas que não me parecem evidentes no imediato", disse Cowen à rádio pública RTE.

No referendo de quinta-feira, os irlandeses rejeitaram o Tratado de Lisboa por 53,4% contra 46,6% dos votos, em uma decisão que se transformou em um quebra-cabeça para os 26 sócios da Irlanda na UE.

ab/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.