Premier irlandês Bertie Ahern deixa oficialmente o poder

O primeiro-ministro irlandês Bertie Ahern formalizou nesta terça-feira sua renúncia, após 11 anos de poder, deixando a seu sucessor Brian Cowen a missão de garantir a vitória do sim no próximo referendo sobre o tratado europeu de Lisboa.

AFP |

Sob uma crescente pressão por alegações de corrupção, Ahern havia anunciado sua saída no dia 2 de abril. Ele devia entregar sua carta de demissão nesta terça-feira às 18H00 (14H00 de Brasília) à presidente irlandesa Mary MacAleese.

Brian Cowen, 48 anos, atual ministro das Finanças e vice-primeiro-ministro, deve ser eleito oficialmente pela Câmara baixa do Parlamento na quarta-feira.

O primeiro desafio de Cowen será garantir a vitória do "sim" no referendo sobre o tratado de Lisboa, que a Irlanda será o único dos 27 países da União Européia (UE) a organizar. O plebiscito está previsto para o dia 12 de junho.

Bertie Ahern se disse "convencido de que a ratificação do tratado de Lisboa é imperativa para o progresso social e econômico da população irlandesa".

"Quero reforçar minha convicção de que a UE desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento da Irlanda como uma das economias mais dinâmicas do mundo", acrescentou o premier.

A Irlanda tem registrado um importante crescimento econômico desde sua entrada na Europa política, em 1973.

A vitória do "sim" no referendo parece certa: todos os movimentos políticos representados no Parlamento apóiam o tratado, com exceção dos nacionalistas do Sinn Fein, que têm apenas quatro cadeiras de um total de 166.

No entanto, pesquisas recentes destacaram a indecisão dos 4,3 milhões de irlandeses. De acordo com um estudo publicado no fim de abril, somente 5% dos irlandeses dizem entender o tratado. Outra pesquisa, também do fim de abril, mostrou um recuo do "sim" para 35%, contra 31% para o "não" e 34% de indecisos.

ab/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG