Premier do Haiti reafirma compromisso de fortalecer economia

Porto Príncipe 5 set (EFE).- A nova primeira-ministra do Haiti, Michele Pierre-Louis, reafirmou na madrugada de hoje seu compromisso de fortalecer a maltratada economia do país, após ser ratificada pelo Senado para ocupar a chefia do Governo.

EFE |

Durante a apresentação de seu plano de Governo aos deputados, na semana passada, Pierre-Louis falou por mais de uma hora sobre as prioridades de seu Governo.

"É importante começar a trabalhar (...) Não podemos aceitar que mais de 52% da população viva com menos de US$ 1 por dia (...) todos devem ter as mesmas oportunidades", afirmou.

A inflação no Haiti foi de 8% em 2007, e este ano já chegou a 16%, enquanto o déficit do orçamento é de mais de US$ 31 milhões, explicou a economista.

Pierre-Louis prometeu que seu Governo tomará medidas para fortalecer a economia, como a reforma de leis, a colaboração com o setor privado e uma melhor administração da ajuda externa.

Além disso, insistiu na reestruturação do setor agrícola para produzir mais alimentos, e prometeu continuar com a política de implementar novas infra-estruturas, particularmente estradas, para assegurar a distribuição dos produtos.

No âmbito energético, ressaltou a necessidade de buscar novas fontes de energia para diminuir a fatura petrolífera.

Pierre-Louis também comentou sobre o turismo, que poderia ajudar a melhorar a economia do país.

A economista prometeu medidas para reformar o sistema educacional e o de saúde, com o objetivo de transformá-los "num motor de desenvolvimento no Haiti".

Além disso, se referiu ao meio ambiente, um dos temas que terão prioridade em seu Governo e que é crucial para este país, onde o furacão "Hanna" deixou 136 mortos, segundo um balanço provisório.

Pierre-Louis disse que é preciso adotar medidas com urgência para atender as vítimas das tempestades que castigaram recentemente o país, facilitar a reabertura das escolas e realizar eleições parciais para completar o Senado.

O Senado aprovou hoje, com dezesseis votos a favor e uma abstenção, o plano de Governo apresentado por Pierre-Louis, que em 30 de agosto tinha recebido o sinal verde da Câmara dos Deputados.

O Haiti permanecia sem um Governo totalmente efetivo desde meados de abril, quando foi destituído pelo Parlamento o anterior primeiro-ministro, Jacques Edouar Alexis.

A queda do Executivo aconteceu em meio a uma crise gerada por uma série de violentos protestos contra a inflação que culminou coma morte de seis pessoas.

O presidente haitiano, René Préval, já tinha proposto o nome de dois candidatos a primeiro-ministro, Eric Pierre e Robert Manuel, mas ambos foram rechaçados no processo de ratificação parlamentar.

EFE gp/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG