Premiê Wen Jiabao impõe a estabilidade social como meta da China

No Congresso Nacional do Povo, Wen Jiabao reconhece descontentamento populacional com fracasso em resolver problemas de país

iG São Paulo |

AP
Premiê chinês, Wen Jiabao, sorri depois de divulgar relatório do governo durante sessão inaugural do Congresso Nacional do Povo
O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, prometeu neste sábado, na inauguração do Congresso Nacional do Povo (CNP), melhorias sociais para frear o descontentamento da população.

Perante 3 mil legisladores reunidos no Grande Palácio do Povo, que participarão do evento por dez dias, o premiê disse que a China deve assegurar a estabilidade social por meio da redução da inflação e da corrupção.

"Alguns problemas que são objeto de reações iradas da população não foram resolvidos completamente", admitiu o chefe de governo. "A pressão da inflação se acentuou e devemos considerar a estabilização dos preços como a prioridade de nossa política econômica", disse.

Wen garantiu atenção "a problemas que causam grande ressentimento entre as massas, como as expropriações não autorizadas de terra cultiváveis e as demolições ilegais de imóveis". Além disso, o primeiro-ministro fez uma severa advertência aos políticos corruptos.

Ao fazer as declarações, Wen antecipou os objetivos do regime comunista para 2011 e também em longo prazo, já que nesse plenário será aprovado o Plano Quinquenal (2011-2015).

Na metade desta década, o chefe de governo afirmou que a China terá como meta o crescimento anual de 7% em média, número consideravelmente inferior aos dos cinco anos anteriores, nos quais a média foi de 11,2%. Segundo Wen, nesse período a população urbana superará a rural pela primeira vez na longa história da civilização oriental.

Wen ressaltou aos legisladores - alguns trajando uniforme militar e outros vestidos com roupas tradicionais das etnias que representam - que, até 2015, a China buscará "manter o nível de preços basicamente estável", aumentando a renda per capita rural a um ritmo anual de 7% e buscando que a expectativa de vida, atualmente em 74 anos, aumente em um ano.

Wen também previu a criação de 45 milhões de empregos urbanos em cinco anos, habitação para 20% das famílias urbanas de baixa renda e uma seguridade social - atualmente quase inexistente para grande parte dos chineses - que pague 70% do tratamento médico dos assegurados.

Quanto aos objetivos para 2011, o primeiro-ministro previu crescimento de 8% do PIB (2,3% menos que em 2010), prometeu lutar para que a inflação não supere 4% no fim do ano (contra 3,3% em 2010) e, definitivamente, para "um bom ambiente para transformar o modelo de desenvolvimento econômico".

O Congresso é realizado em meio a fortes medidas de segurança, como o controle de todos os veículos que entram em Pequim vindos de outras províncias e a proibição do uso do espaço aéreo da capital chinesa.

AP
Anfitriãs pulam enquanto posam para fotos na Praça da Paz Celestial, em Pequim, durante sessão de abertura do anual Congresso Nacional do Povo
*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: chinawen jiabaoinflaçãocorrupçãoestabilidade social

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG