Por Pinar Aydinli ANKARA (Reuters) - A Turquia anunciou nesta sexta-feira que está enviando seu embaixador para Washington, um mês depois de ele ter sido chamado de volta em protesto contra um comitê do congresso norte-americano comparando o massacre de armênios na Turquia ao genocídio de uma guerra mundial.

O premiê turco, Tayyip Erdogan, também confirmou que estará presente em uma reunião internacional nuclear na capital dos Estados Unidos nos próximos dias 12 e 13.

"Recebi o convite cinco ou seis meses atrás para participar do evento internacional com outros países. Vou estar lá por ser uma boa causa, para prevenir o uso e a disseminação de armas nucleares. Eu irei para os EUA", disse Erdogan a jornalistas.

"Meu embaixador Namik Tan voltará para os EUA antes de minha visita", acrescentou.

Um comitê da Câmara dos Deputados norte-americana aprovou em 4 de março uma resolução pedindo ao presidente Barack Obama que se refira à morte de até 1,5 milhão de armênios cristãos como um genocídio, o que fez com que a Turquia imediatamente retirasse seu embaixador de Washington.

A Turquia argumenta que turcos e armênios foram mortos durante uma guerra caótica quase um século atrás, ainda que perto de 20 países tenham dito que ocorreu um genocídio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.