Premiê peruano coloca cargo à disposição de García por crise indígena

Lima, 16 jun (EFE).- O primeiro-ministro peruano, Yehude Simon, anunciou hoje que colocará seu cargo à disposição do presidente, Alan García, nas próximas semanas, por causa da crise com os povos amazônicos que gerou violentos fatos com 34 mortos.

EFE |

"Eu vou sair de qualquer forma na hora que isso tudo tiver acalmado, que deve ser nas próximas semanas", declarou Simon à "Rádio Programas del Perú" ("RPP").

O presidente do Conselho de Ministros insistiu em que o líder deixará o "país tranquilizado" e depois este "saberá o que tem que fazer", em relação à renúncia.

Simon esclareceu que sua saída do Executivo não responde ao "capricho" do líder nacionalista Ollanta Humala "ou de alguns radicais, porque eles não se interessam pelo país".

Humala exigiu a renúncia de Simon, ao atribuir ao premiê a violência derivada nos confrontos dos povos indígenas que deixou 24 policiais e 10 civis mortos, no dia 5 de junho na cidade de Bagua.

Simon confirmou na segunda-feira que o Governo pedirá a revogação das polêmicas leis 1090 e 1064, que originaram os protestos dos povos amazônicos há dois meses, após conversar com os líderes de mais de 300 comunidades na região Junín. EFE mmr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG