Premiê paquistanês pede substituição da pena de morte por prisão perpétua

Islamabad, 21 jun (EFE).- O primeiro-ministro da Paquistão, Yousuf Raza Gilani, pediu hoje ao Parlamento que a pena de morte, imputada a milhares de pessoas no país, seja substituida pela prisão perpétua, informou à Agência Efe um porta-voz de seu escritório.

EFE |

"Gilani fez este pedido pensando na falecida ex-primeira-ministra Benazir Bhutto", disse um dos porta-vozes do premiê, segundo quem a comutação "seria o melhor presente para Bhutto" na comemoração de seu aniversário, que seria hoje.

O pedido de Gilani foi feito depois que, na terça-feira, a organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW) apelou ao Governo do Paquistão para que acabe com a pena de morte no país.

A ONG enviou uma carta ao premiê pedindo a suspensão das execuções enquanto tramita no Parlamento um projeto para a abolição da pena capital.

As execuções aumentaram significativamente durante o Governo do presidente Pervez Musharraf, devido a um aumento nos crimes punidos com a pena, segundo a HRW.

Gilani não tem a autoridade para substituir diretamente a pena de morte, mas já anunciou que levará o pedido a Musharraf.

No entanto, o porta-voz da Presidência, Rashid Qureshi, disse à Efe que ainda não conhece a proposta do premiê.

"Por enquanto, não recebemos nenhum pedido formal", afirmou. EFE igb/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG