Premiê japonês analisará vários fatores antes de dissolver Câmara Baixa

Pequim, 25 out (EFE).- O primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, disse hoje, em Pequim, que levará em conta muitos fatores antes de decidir a dissolução da Câmara Baixa e a convocação de eleições.

EFE |

Em declarações à imprensa após a cúpula do Encontro Ásia-Europa (Asem), da qual participaram 43 países da União Européia (UE) e da Ásia e que foi centrada na crise financeira, Aso disse que "é tempo de buscar vias de aumentar a demanda internacional" dos produtos japoneses, e não de politicagem.

A crise financeira internacional, que ainda não é muito sentida no Japão, afetará sua economia, porque o país depende da "demanda externa e esta não aumentará".

"Precisamos ter coragem para fazer crescer a demanda doméstica e dar maior papel à internacional", acrescentou.

O primeiro-ministro reiterou que tem de "ter em consideração vários fatores antes de decidir" (a dissolução do Parlamento), e ainda não pode dizer se fará, disse a um jornalista japonês que lhe fez a pergunta.

O secretário-geral de sua legenda, o Partido Liberal-Democrata (PLD), Hiroyuki Hosoda, disse hoje, em Tóquio, que Aso decidirá a data das eleições gerais provavelmente no final de outubro.

Segundo a agência "Kyodo", os círculos políticos estão divididos sobre a possibilidade de Aso dissolver a Câmara Baixa e convocar eleições em novembro ou depois, de acordo com Hosoda. EFE pc/fh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG