Premiê israelense acha que trégua incluirá libertação de soldado

Jerusalém, 17 fev (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, que analisará amanhã com seu gabinete os últimos contatos para um cessar-fogo com o Hamas, expressou hoje sua confiança em que um eventual acordo incluirá a libertação do soldado Gilad Shalit.

EFE |

"Espero que a questão termine em uma pequena margem de tempo", disse Olmert, durante uma visita aos túneis arqueológicos cavados junto ao Muro das Lamentações, na Cidade Antiga de Jerusalém.

Olmert deve estudar com os ministros de seu gabinete amanhã os últimos contatos mantidos com as autoridades egípcias, que fazem a mediação nas negociações para conseguir um cessar-fogo durável com as facções armadas palestinas na Faixa de Gaza, lideradas pelo Hamas.

Nessa reunião, indica a imprensa local, espera-se que Olmert peça aos ministros que aprovem as condições de uma trégua que inclua um acordo para a libertação de Shalit, como parte de uma eventual troca de presos.

"Tomaremos decisões sobre este assunto amanhã e espero que as decisões sirvam de base para permitir uma solução para o problema em um curto espaço de tempo, inclusive se não for durante o mandato do atual Governo", disse.

Olmert informou ao presidente egípcio, Hosni Mubarak, sobre sua posição e disse que Israel só aceitará um acordo baseado no fim das hostilidades acompanhado da libertação do soldado israelense.

O braço armado do Hamas, as Brigadas de Ezedin al-Qassam, e outras duas facções palestinas capturaram o soldado em junho de 2006, após atacar uma base militar em território israelense situada nas imediações da Faixa de Gaza.

Um dirigente do Hamas citado pelo jornal árabe editado em Londres "Al-Hayat" não descartou, no entanto, a possibilidade de uma troca de prisioneiros incluindo Shalit antes do acordo de cessar-fogo que as partes negociam com a mediação do Cairo. EFE db/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG