Bagdá, 1 abr (EFE).- O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, disse hoje que seu Governo conseguiu o objetivo de impor a lei em Basra, e anunciou o envio de altos funcionários à província para avaliar a situação dos serviços básicos.

Em comunicado, o escritório de Maliki afirmou que vários vice-ministros vão a Basra para restabelecer a normalidade nos serviços, após os intensos combates entre as tropas iraquianas e o Exército Mehdi, leal ao clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr.

Esta decisão foi adotada em um contexto de relativa calma, favorecida pelas medidas de distensão de ambas as partes nas últimas horas.

Neste contexto, Maliki apostou na criação de 10.000 novas vagas para policiais e militares em Basra, às quais só poderão se candidatar os habitantes da província.

Basra, situada 550 quilômetros ao sul de Bagdá, é a segunda cidade do país e o principal centro exportador de petróleo do Iraque.

Durante a semana passada, Basra foi o cenário de duros confrontos entre as milícias leais ao clérigo Moqtada al-Sadr e o Exército iraquiano, que se saldaram com a morte de pelo menos 210 pessoas e grandes danos às infra-estruturas da província. EFE am/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.