Atenas, 3 set (EFE).- O primeiro-ministro grego, o conservador Costas Caramanlis, solicitou hoje, em Atenas, que o presidente do país, Carolos Papoulias, convoque eleições legislativas antecipadas para 4 de outubro, dois anos antes do fim de sua legislatura.

Antes de sua reunião hoje com o chefe do Estado, Caramanlis declarou que age movido "exclusivamente pelo interesse do país".

Em declaração à imprensa, disse que o novo processo eleitoral é convocado "diante do desafio nacional para enfrentar as consequências da crise econômica mundial".

Caramanlis acrescentou que "os próximos dois anos serão difíceis" e que 2010 será "decisivo para a economia" da Grécia.

O primeiro-ministro, que após a reeleição há dois anos já acumula cinco no poder, viu crescer sua impopularidade devido à crise econômica, aos graves distúrbios em Atenas no início do ano e à ineficaz gestão da luta contra os incêndios, que recentemente arrasaram 30 mil hectares de florestas.

A sucessão de crise aumentou ainda mais a pressão contra o Governo, que conta com uma estreita maioria no Parlamento, após ganhar com pouca margem as eleições antecipadas de 2007, convocadas também após uma série de catastróficos incêndios.

Por isso, Caramanlis pediu ao eleitorado para dar "um mandato de Governo fresco, com um programa para enfrentar a crise econômica".

Acrescentou que sua decisão foi guiada após a recusa do partido majoritário de oposição, Movimento Socialista Pan-helênico (Pasok), de apoiar com suas cadeiras a reeleição do presidente, em março de 2010, o que, segundo a Constituição, obriga a convocar eleições legislativas.

"Seis meses de prolongado período pré-eleitoral seriam catastróficos para a economia nacional", disse Caramanlis, "no momento em que se precisa de calma e estabilidade para aplicar reformas, lutar contra a fraude fiscal e controlar o gasto público".

EFE afb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.