Copenhague, 4 abr (EFE).- O primeiro-ministro dinamarquês, o liberal Anders Fogh Rasmussen, eleito hoje secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), apresentará amanhã sua renúncia à rainha Margrethe II e será substituído pelo ministro das Finanças, Lars Loekke Rasmussen.

Assim confirmou o próprio Fogh Rasmussen, em entrevista ao canal "TV2", após aterrissar em Copenhague, procedente de Estrasburgo (França), onde ocorreu a cúpula da Otan na qual foi decidida sua nomeação.

Fogh Rasmussen reconheceu que sua escolha só foi decidida no "último minuto", que houve muitos vaivéns e que foram negociações "muito duras".

O primeiro-ministro deixou claro que seu sucessor no cargo, como estava previsto caso fosse eleito secretário-geral da Otan, será outro Rasmussen, Lars Loekke, vice-presidente do Partido Liberal e considerado há anos seu "pupilo".

"Será um excelente primeiro-ministro", disse sobre seu sucessor, de quem destacou a "experiência política e seu sólido apoio".

Tanto o Partido Conservador, seu aliado na coalizão de Governo, quanto o ultranacionalista Partido Popular Dinamarquês, que garante com seus votos a maioria absoluta, reiteraram hoje seu apoio ao próximo primeiro-ministro.

No entanto, a oposição, liderada pelo Partido Social-Democrata, reivindicou a realização de eleições antecipadas, porque considera que Lars Loekke não tem o apoio das urnas. EFE alc/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.