Premiê de Israel pede recontagem de votos de eleição

Por Rania El Gamal e Khalid al-Ansary BAGDÁ (Reuters) - O premiê do Iraque, Nuri al-Maliki, pediu uma recontagem nacional dos votos das eleições parlamentares no país em 7 de março, dizendo que o país poderá voltar à violência se isso não for feito.

Reuters |

O pedido acontece após novos resultados da comissão eleitoral no domingo mostrarem que o partido oposicionista de Iyad Allawi terminou à frente do bloco de Maliki por cerca de 8 mil votos, com 93 por cento da apuração concluída.

O presidente iraquiano, Jalal Talabnani, um curdo, também manifestou em comunicado neste domingo pedido que a Comissão Eleitoral Independente reconte os votos em algumas províncias.

Na cidade xiita de Najaf, cerca de 300 pessoas protestaram perto do edifício do governo na província para solicitar a recontagem dos votos.

A apertada eleição indica semanas de difíceis negociações para a formação do governo, em meio ao aumento da perspectiva de um vácuo político que pode representar um revés para a frágil melhora na segurança do Iraque.

Maliki, xiita que conquistou o apoio de muitos iraquianos com seu discurso nacionalista e com iniciativas para acabar com a violência sectária, disse em comunicado no final do sábado que há demanda de muitos blocos políticos por uma recontagem manual dos votos.

O chefe da comissão eleitoral, Faraj al-Haidari, disse que haverá uma reunião ainda no domingo para discutir o pedido de Maliki, mas questionou a necessidade de recontagem dos votos.

"Eles dizem que querem uma recontagem manual, mas isso será decidido pelos comissários (eleitorais). Nós temos um sistema de contagem eletrônica preciso", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG