Em discurso, Netanyahu antecipa morte de ex-primeiro-ministro israelense que está em coma desde 2006

AP
O premiê israelense Benjamin Netanyahu, em foto de 7 de agosto
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, cometeu uma gafe durante um discurso ao falar do ex-premiê Ariel Sharon, que está em coma desde 2006, como se ele já estivesse morto.

Durante uma cerimônia para a filha do ministro do Interior, Eli Yishai, por ocasião de seu casamento, Netanyahu disse que o único líder israelense que conseguiu reformar a habitação nos últimos 50 anos foi Ariel Sharon, e completou: "Que sua memória seja abençoada".

Ao perceber seu erro, Netanyahu se desculpou e desejou "longa vida" a Sharon, que foi seu antecessor no cargo.

Em 2010 o ex-premiê foi transferido de um hospital em Tel Aviv para sua fazenda em Nagev, sul de Israel, a pedido de sua família. A esposa de Sharon foi enterrada no local. Na ocasião, médicos disseram que Sharon permanecia em estado vegetativo mas em condição estável.

Ariel Sharon foi eleito premiê em 2001 prometendo alcançar "paz e segurança duradouras". Ele promoveu a expansão do Estado e começou a construção da barreira israelense na Cisjordânia. Apesar da oposição interna, Sharon ordenou o desmantelamento de quatro assentamentos na Cisjordânia e quatro em Gaza.

Como ministro da Defesa, Sharon conduziu a invasão militar do Líbano em 1982. Durante a campanha militar, militantes cristãos aliados de Israel massacraram centenas de palestinos em campos de refugiados que estavam sob controle israelense.

Com EFE e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.