Premiê da Ucrânia diz que não deixa cargo se perder presidenciais

Kiev, 30 jan (EFE).- A primeira-ministra e candidata à Presidência da Ucrânia, Yulia Timoshenko, advertiu hoje que não deixará voluntariamente a chefia de Governo caso perca o segundo do turno das eleições.

EFE |

Num programa de TV ao vivo em que respondia a perguntas de cidadãos, Timoshenko lembrou que, segundo a Constituição da Ucrânia, o Governo não pode apresentar renuncia nem ser destituído pelo presidente.

"E se o Parlamento obrigar o Governo a renunciar, ficaremos interinos em nossos cargos até que seja formada uma nova coalizão majoritária no Legislativo que apresente ao presidente as candidaturas do primeiro-ministro e dos ministros", explicou.

Mas perguntada se admitiria uma eventual derrota nas urnas pelo líder opositor Viktor Yanukovich (pró-Rússia), Timoshenko respondeu que "não se deve formular o problema dessa forma e influir, assim, na visão do povo".

"Só as eleições deixarão claro quem ganhará e quem acabará derrotado", afirmou a primeira-ministra, que disse convencida de que "o povo fará uma escolha digna".

A primeira-ministra ucraniana ofereceu a futura chefia de Governo ao magnata do setor bancário Serguei Tiguipko, terceiro candidato mais votado no primeiro turno.

No primeiro turno, Yanukovich obteve 35,3% dos votos, Timoshenko somou 24,36% e Tiguipko conseguiu 13,05%.

Tiguipko se negou por enquanto a declarar apoio a um dos dois candidatos, mas reconheceu que as ofertas de Timoshenko são mais generosas e concretas que as de Yanukovich. EFE bk/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG