Kingston, 29 ago (EFE).- O primeiro-ministro da Jamaica, Bruce Golding, disse hoje que ainda não foi determinado o número de mortos que o Gustav, ainda uma tempestade tropical, deixou na ilha.

Em entrevista coletiva, Golding disse que vai esperar até sábado para anunciar os números finais dos mortos em conseqüência das fortes chuvas provocadas pelo "Gustav".

"Não podemos confirmar ainda o número de mortos. Sabemos que algumas pessoas morreram na derrubada de suas casas e ouvimos que um veículo com quatro pessoas foi arrastado. Não quero especular, mas poderíamos ter um número de dez mortos na região", declarou.

A Polícia, por sua vez, disse que quatro pessoas morreram hoje e que uma outra perdeu a vida na quinta-feira.

Nesta sexta, um casal se afogou ao ser arrastado por uma corrente d'água no bairro na capital, onde chove sem parar.

A Polícia também informou que outro casal foi arrastado pelas águas e que seus corpos ainda não foram encontrados, razão pela qual há suspeitas de que as duas pessoas estejam mortas.

Golding ressaltou que o "Gustav" teve um impacto severo no país devido às chuvas e porque se deslocou lentamente "Ainda não conseguimos determinar o número total das estradas danificadas, mas sabemos que 129 estão bloqueadas e, destas, 25 já foram liberadas. Duas pontes estão totalmente destruídas", acrescentou.

O Governo da Jamaica informou que aproximadamente 2.000 pessoas foram levadas para abrigos, sobretudo no leste do país, onde os danos foram maiores. EFE hg/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.