Premiê britânico prevê retirada do Afeganistão até 2015

Apesar de não especificar cronograma, Cameron quer que tropas deixem solo afegão antes das próximas eleições gerais britânicas

iG São Paulo |

Reuters
Primeiro-ministro britânico, David Cameron, chega ao encontro do G8 no Canadá
O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, afirmou nesta sexta-feira que quer retirar os soldados britânicos que estão posicionados no Afeganistão até 2015.

Em uma entrevista à emissora "SkyNews" no Canadá, onde participa das cúpulas do G8 e do G20, que reúnem as principais economias do mundo, Cameron foi questionado sobre seu desejo de ver os 10 mil militares britânicos no Afeganistão voltarem ao país natal em cinco anos.

"Quero que isso ocorra e que não haja equívoco", respondeu o líder britânico, que tratará desse assunto no sábado com o presidente americano, Barack Obama.

Apesar de não apresentar um calendário específico para a retirada, Cameron disse que quer que as tropas britânicas deixem o país antes das próximas eleições gerais na Grã-Bretanha, que acontecerão em 2015. 

Cameron manifestou que preferia "não estipular prazos estritos", mas destacou que "os militares não podem continuar lá por mais cinco anos, se já estão há quase nove".

Fontes ligadas a Cameron manifestaram posteriormente à "BBC" que os comentários do primeiro-ministro não significam estabelecer um novo ritmo ao recuo militar.

A retirada do Afeganistão foi uma questão já abordada por Cameron durante a campanha eleitoral para a eleição de 6 de maio. Há duas semanas, ele voltou ao assunto perante o Parlamento.

O descontentamento e a rejeição da opinião pública da Grã-Bretanha à presença militar no Afeganistão aumentaram progressivamente especialmente no último ano, quando ocorreu quase metade da 300 mortes sofridas pelo contingente britânico .

*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: AfeganistãoGrã-BretanhaTalebanEUA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG