O Partido Trabalhista, do primeiro-ministro britânico Gordon Brown, sofreu mais uma forte derrota nesta sexta-feira nas eleições suplementares de um condado do sul da Inglaterra. O partido ficou apenas em quinto lugar na eleição suplementar do condado de Henley, atrás dos partidos Conservador, Liberal Democrata, Verde e Nacional Britânico.

A derrota coincidiu com o dia em que Gordon Brown completa um ano no cargo. Nas eleições municipais de maio, o partido do premiê já havia sofrido um forte golpe, ao chegar apenas em terceiro lugar no computo geral dos votos.

Um resultado ruim em Henley já era esperado pelos trabalhistas, já que a região é tradicionalmente um reduto de conservadores.

No entanto, a quinta posição na eleição - com apenas 3,1 dos votos - foi bem pior do que as previsões mais pessimistas dos trabalhistas.

Gordon Brown assumiu o governo em 27 de junho do ano passado após dez anos de governo Tony Blair, prometendo mudanças para o povo britânico.

Inicialmente, seus índices de aprovação eram altos. Ele chegou a cogitar a convocação de uma eleição geral para que o povo o confirmasse no cargo, já que ele assumiu a vaga de primeiro-ministro devido à renúncia de Blair.

No entanto, Brown descartou a convocação, o que acabou afetando sua popularidade.

Até sua reputação como competente administrador da economia britânica foi afetada. Durante os anos Blair, Brown era considerado um dos principais líderes em um período de forte crescimento da economia britânica.

No entanto, no último ano, a economia britânica sofreu duros revezes - em parte devido a fatores internacionais que estão fora do controle do governo, como a alta internacional do preço dos combustíveis e dos alimentos.

Brown foi criticado por medidas impopulares de reforma fiscal que afetaram a parcela mais pobre da população.

A eleição suplementar de Henley não é um golpe fatal para Brown, mas é mais um resultado ruim em uma série de desempenhos fracos dos trabalhistas nas urnas - o que colabora para a imagem de que Brown está falhando na tarefa de reinventar o seu partido após 11 anos no poder.

No Partido Trabalhista, há um intenso debate sobre a capacidade de Brown de conseguir reverter a sorte da sigla.

Ainda faltam quase dois anos para a convocação obrigatória de novas eleições gerais e, até agora, o Partido Trabalhista não apresentou nenhuma liderança alternativa a Brown.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.