Bruxelas, 3 ago (EFE).- O primeiro-ministro belga, Yves Leterme, defendeu hoje manter o sangue frio para abordar uma reforma descentralizadora do Estado federal, já que a Bélgica tem um futuro, na medida em que deixe mais espaço às comunidades e regiões.

Em entrevista publicada hoje por diferentes jornais belgas, o primeiro-ministro adverte que o país, que sofre com uma longa crise política e institucional, devido às diferenças entre comunidades lingüísticas, chegou a um "momento crucial".

"O marco federal de coordenação não é mais suficiente e, partindo de uma dinâmica de entidades federadas, é necessário chegar a esta sexta reforma do Estado, que precisará de transferências de competências e de responsabilidades", acrescentou.

O Governo de coalizão ainda liderado por ele, depois que o rei Albert II não aceitou a renúncia de Leterme, só sobreviverá, segundo ele, na medida em que seja possível conseguir um acordo na citada reforma.

Desde as últimas eleições, em junho de 2007, o país passou por várias crises, porque flamengos e francófonos não conseguem entrar em acordo sobre uma nova descentralização do poder. EFE met/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.