Prefeitos opositores rejeitam pedido de Evo para negociar autonomias

LA PAZ - Quatro prefeitos da oposição boliviana, empenhados em aplicar seus modelos de autonomia em seus departamentos, rejeitaram nesta quinta-feira um convite do presidente, Evo Morales, para dialogar sobre o modelo descentralizador que o governo pretende impor.

AFP |

A convocação de Morales, para sexta-feira, tinha como objetivo chegar a um consenso com os prefeitos opositores de Santa Cruz, Beni, Pando, Chuquisaca e Tarija para implantar sua nova Constituição, aprovada no referendo do dia 25 de janeiro, em especial no que se refere à questão das autonomias.

"Não vou participar de um diálogo, porque não há condições para um diálogo", declarou nesta quinta-feira o prefeito de Beni, Ernesto Suárez. "Aqui em Beni o 'não' à Constituição, a rejeição à Constituição, ganhou, então eles não podem impor uma Constituição", acrescentou.

Já Mario Cossío, prefeito de Tarija, indicou que "há um diálogo departamental, no qual deve ser definido o tema das autonomias na próxima semana. Enquanto não tivermos uma posição como departamento, não poderemos discutir a questão das autonomias com o governo".

Juan Salinas, secretário-geral da prefeitura de Chuquisaca, disse que "nossa posição é que não iremos ao diálogo", enquanto Carlos Dabdoud, influente secretário de Santa Cruz, afirmou que "temos más experiências com os diálogos que não conduzem a nada".

"Estamos convocando os prefeitos de Tarija, Chuquisaca, Santa Cruz e Beni para delinear a implementação das autonomias", declarou Morales, referindo-se à nova Constituição.

Leia mais sobre Bolívia

    Leia tudo sobre: boliviabolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG