Prefeito é morto supostamente por braço da Al Qaeda na Argélia

Três homens armados assassinaram o prefeito de Baghlia quando ele voltava para casa após ir à mesquita

EFE |

O prefeito da cidade de Baghlia, na região argelina da Cabília, foi assassinado por três homens armados supostamente membros da organização terrorista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI), informam hoje a imprensa e fontes locais. O fato ocorreu na noite de sexta-feira quando Idir Ramdan, de 47 anos, voltava para casa da mesquita de seu bairro, após a última oração do dia, quando foi abordado pelos três assassinos.

Segundo o testemunho de alguns vizinhos, o prefeito teve uma grande discussão com os agressores, que primeiro tentaram sequestrá-lo e levá-lo a algum lugar isolado da região. Diante da resistência do prefeito, os três indivíduos atiraram contra ele e fugiram.

A Polícia chegou pouco depois ao local e iniciou uma operação de busca dos assassinos, sem que até agora tenham conseguido resultados, segundo as fontes fontes. Os habitantes de Baghlia, cidade da província de Boumerdès, afirmam que o prefeito havia se tornado alvo dos grupos armados na região depois de expressar apoio aberto às manifestações das últimas semanas contra o terrorismo.

Os investigadores suspeitam que a organização terrorista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) pode estar por trás do assassinato. A província de Boumerdès se transformou nos últimos anos no centro das atividades criminosas dos grupos da AQMI.

Neste sábado, um soldado morreu e outros quatro ficaram feridos quando o comboio militar em que estavam foi metralhado na província de Tizi Ouzou, também na Cabília, publica hoje a imprensa argelina. Ao repelir a agressão, os militares mataram um dos agressores, cujo corpo foi levado ao necrotério para identificação.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG