Prefeito de origem marroquina causa polêmica na Holanda

A indicação de Ahmed Aboutaleb para assumir a prefeitura de Roterdã, a segunda maior cidade da Holanda, está causando polêmica no país. Com dupla nacionalidade marroquina e holandesa, o novo prefeito será o primeiro político de origem estrangeira a assumir esse cargo na Holanda.

BBC Brasil |

Sua posse está marcada para 1º de janeiro de 2009.

Embora a escolha dele agrade imigrantes, os partidos de direita não concordam com a indicação de quem consideram ser "semi-holandês" para a prefeitura de uma cidade com 583 mil habitantes e alto percentual de estrangeiros.

Segundo analistas, o nome de Aboutaleb foi aprovado pelo Conselho Municipal de Roterdã, na semana passada, na tentativa de que os graves problemas envolvendo as comunidades de imigrantes possam ser melhor gerenciados.

Nos relatórios da prefeitura de Roterdã, as comunidades marroquina e caribenha são apontadas como responsáveis por grande parte dos transtornos ocorridos na cidade.

Imigrantes
Uma enquete publicada nesta terça-feira pelo instituto Maurice de Hond indica que 45% dos holandeses consideram positiva a escolha de Aboutaleb e apostam nele como prefeito de Roterdã. Outros 28% não aprovam a escolha.

Quanto à dupla nacionalidade do político, 52% não consideram um grande problema, mas o fato incomoda 36%.

Aboutaleb foi para Holanda com a família aos 16 anos e começou sua carreira como jornalista e assessor de comunicação da prefeitura de Amsterdã.

Mais tarde, elegeu-se vereador e foi convidado para ocupar o cargo de Secretário nacional de Assuntos Sociais em 2006, que ocupou até esta terça-feira.

Na opinião de analistas, o motivo decisivo para a escolha de Aboutaleb, do PVdA (Partido dos Trabalhadores), foi sua postura na crise política gerada pela execução do cineasta Theo van Gogh, em 2004, por um holandês de origem marroquina.

O político, que na época era vereador em Amsterdã, conseguiu promover diálogo e aproximação entre as comunidades holandesa e marroquina e evitou confrontos e incidentes mais sérios.

Direita
"A escolha de Aboutaleb é uma surpresa interessante, afinal ele é um prefeito nascido no Marrocos, educado na cultura islâmica e agora é a celebridade política na cidade de Pim Fortuyn", diz um artigo do jornal Volkskrant, referindo-se ao político de ultradireita assassinado em 2002 e lembrado pela sua posição contrária à imigração.

A política linha dura do prefeito demissionário, Ivo Opstelten, do partido de direita VVD, é bastante criticada nacionalmente por partidos moderados, mas tem o apoio de tendências políticas locais, o que garantiu sua permanência no cargo por dez anos.

"Um marroquino na segunda maior prefeitura da Holanda é tão louco como um holandês governando a cidade de Meca. É melhor que ele vá ser prefeito de Rabat", disse o líder do partido dissidente PVV (Partido para a Liberdade), Geert Wilders, referindo-se à capital do Marrocos.

Segundo Wilders, a dupla nacionalidade "compromete a lealdade que um político tem de ter quando ocupa um cargo público".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG