Prefeito de NY pede que EUA cubra gastos de vítimas de atentados

Por Edith Honan e Joan Gralla NOVA YORK (Reuters) - O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, pediu ao governo dos Estados Unidos que pague 150 milhões de dólares por ano para cobrir os gastos médicos de trabalhadores e residentes que tiveram a saúde afetada pelos ataques de 11 de setembro de 2001.

Reuters |

O governo federal criou um fundo de seguros de 1 bilhão de dólares para ajudar trabalhadores do chamado 'ponto zero' que adoeceram devido à fumaça tóxica e a poeira que dominaram o local de destruição do World Trade Center.

O fundo, no entanto, foi impedido por ações judiciais e criticado pela falta de pagamentos aos trabalhadores doentes.

O pedido pelos pagamentos de saúde está entre as prioridades para o prefeito independente, que forneceu na quinta-feira uma atualização para seu segundo e último mandato, que termina em 2010.

Suas outras prioridades incluem a arrecadação de verbas para a infra-estrutura, do transporte para o sistema de água e esgotos. Um assistente do prefeito disse que a meta poderia ser atingida se um banco federal de infra-estrutura fosse criado, uma idéia também apoiada pelo governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger e pelo governador da Pensilvânia, o democrata Ed Rendell.

Bloomberg repetiu alguns objetivos anteriores, incluindo a angariação de fundos para a segurança. O prefeito também deseja diminuir as emissões de dióxido de carbono para 30 por cento até 2030 e impulsionar fortemente o número de casas disponíveis.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG