Londres, 22 set (EFE).- O prefeito de Londres, Boris Johnson, pediu aos banqueiros do centro financeiro da cidade que gastem as multimilionárias bonificações que ganham patrocinando as artes produzidas na capital.

Não fazer isso causaria um grande dano a um dos maiores atrativos de Londres, declarou o político conservador, referindo-se aos milhões de turistas que vão aos teatros, museus e galerias locais.

"Quem eram os Médici? Eram banqueiros. Tinham um caixa dois, mas serão sempre lembrados por sua contribuição ao Renascimento italiano", destacou Johnson.

Em 2008, o apoio privado às artes, incluindo as doações privadas, atingiu a quantia recorde de 686 milhões de libras (768 milhões de euros).

No entanto, segundo números publicados esta semana, o mecenato das empresas caiu 7% no ano passado.

No discurso que fez no Victoria & Albert Museum, Johnson disse que, em tempos de recessão, investir nas artes "é mais importante que nunca".

"As artes e a cultura não são um luxo, mas parte do DNA desta cidade. Graças a elas, as pessoas querem viver e trabalhar aqui. E sete de cada dez turistas dizem que é por elas que vêm" à cidade, destacou o prefeito.

Johnson recebeu o apoio do ator americano Kevin Spacey, atual diretor do renomado teatro londrino Old Vic.

"Tendo vivido aqui sete anos, realmente acredito que a excelência do Reino Unido no campo das artes e da cultura constitui um dos mais fortes recursos naturais do país", afirmou Spacey.

Johnson também lembrou que o setor público investe 121,3 milhões de libras (138 milhões de euros) no teatro, que, por sua vez, arrecada para o país cerca de 2,6 bilhões de libras (mais de 2,9 bilhões de euros). EFE jr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.