Prefeito de Ilhota aprova medidas duras para retirada de moradores de casas

Rio de Janeiro, 29 nov (EFE) - A Prefeitura de Ilhota, uma das cidades mais afetadas pelas chuvas que afetam há uma semana o estado de Santa Catarina e que já provocaram 110 mortos, autorizou a adoção de medidas de força para obrigar os desabrigados que insistam em retornar às áreas de risco a deixarem esses locais. O prefeito de Ilhota, Ademar Félix, assinou um decreto que proíbe o acesso de qualquer pessoa a uma área do município totalmente arrasada pelos deslizamentos provocados pelas chuvas e que autoriza a Polícia a retirar dos imóveis aqueles que insistirem em retornar, informou hoje a Agência Brasil. A medida foi anunciada um dia depois que quatro membros de uma família que já tinham sido resgatados pelos bombeiros e levados a um albergue municipal morreram sepultados por um deslizamento de terras ao voltar às suas casas. Vários habitantes de bairros do Morro do Baú desejam resgatar os poucos objetos que se salvaram e evitar que as residências sejam saqueadas. A Prefeitura também solicitou que a Força Nacional e a Polícia bloqueiem todas as vias que conduzam ao Morro do Baú para evitar não só o retorno dos habitantes, mas também a presença de possíveis saqueadores. Das 110 pessoas que morreram como conseqüência das chuvas em Santa Catarina, 37 viviam em Ilhota, uma cidade na qual cerca de 3.500 dos 12 mil habitantes estão desabrigados.

EFE |

EFE cm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG