Prefeito causa revolta no México por proibir beijos apaixonados

O prefeito de Guanajuato (centro), Eduardo Romero Hicks, arranjou uma grande dor de cabeça ao proibir que os casais se beijem de forma apaixonada em sua cidade e agora corre o risco de ser expulso do cargo pela oposição e o próprio partido.

AFP |

O prefeito determinou que os "beijos olímpicos" sejam punidos com penas de 36 dias de prisão e 1.500 pesos (107 dólares) de multa.

A indignação tomou conta da população de Guanajuato, que é promovida como "Cidade do Romance".

O prefeito oferceu uma coletiva de imprensa no conhecido 'Callejón del Beso' (Rua do Beijo) e tentou acalmar os ânimos esclarecendo que as pessoas podem se beijar livremente, desde que não se evite "os agarramentos olímpicos", o que, segundo ele, implica em pegar nas partes íntimas da pessoa.

Para demonstrar seu argumento, pediu que uma funcionária da prefeitura beijasse o marido diante da imprensa, o que fez os presentes começarem a gritar: "Multe os dois! Multe os dois!".

gbv/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG