Preço do petróleo bate novo recorde e passa de US$ 121

O preço do barril de petróleo ultrapassou a marca dos US$ 121 pela primeira vez nesta terça-feira. O petróleo tipo leve foi negociado por US$ 121,49 em Nova York.

BBC Brasil |

Em Londres, o barril do petróleo tipo Brent passou pela primeira vez dos US$ 120, sendo vendido a US$ 120,25.

O preço do petróleo tem subido devido a uma série de fatores, incluindo a interrupção do fornecimento do produto na Nigéria e no norte do Iraque e previsões de um aumento da demanda nos Estados Unidos.

O produto atingiu o recorde de US$ 100 pela primeira vez em janeiro. Nos últimos quatro meses, subiu cerca de 25%. O aumento nos últimos sete anos chega a cerca de 400%.

Nigéria
Na Nigéria, a produção de petróleo pela Royal Dutch Shell foi reduzida em 164 mil barris por dia depois de uma série de ataques por grupos militantes.

Rebeldes do Delta nigeriano afirmaram nesta terça-feira que o ex-presidente americano Jimmy Carter concordou em servir de mediador no conflito com o governo.

Os militantes prometeram um cessar-fogo caso o governo aceite a oferta de mediação. Carter não comentou o assunto, e o governo da Nigéria disse que vai analisar a proposta.

Moradores da região do Delta nigeriano reclamam contra o governo e as empresas petrolíferas há decadas porque dizem que as comunidades locais não se beneficiam da vasta riqueza extraída do local.

No norte do Iraque, a produção de petróleo tem sido afetadas pelos confrontos entre forças de segurança turcas e insurgentes curdos.

Economia
No mercado asiático, sinais de otimismo em relação à economia americana também fizeram o preço do barril de petróleo subir.

"Um relatório do setor de serviços dos Estados Unidos sugere que a desaceleração da economia pode não ser tão séria como se pensava", disse Victor Shum, analista do setor de energia da Purvin & Gertz em Cingapura.

"A sensação é que os preços do petróleo devem ficar altos, com bastante volatilidade", acrescentou Shum.

Analistas do banco Goldman Sachs prevêem que o preço do barril pode chegar a um valor entre US$ 150 e US$ 200 em um período de seis meses a dois anos.

Segundo o relatório divulgado pelo banco na segunda-feira, se os preços ficarem nos níveis atuais de US$ 120 ou subirem para US$ 150, isso terá "sérias conseqüencias" para a economia.

China
O consumo do petróleo por Índia e China é um dos fatores-chave que influenciam o preço do produto.

Para garantir fornecimento, a China assinará um acordo com a Venezuela para construir uma refinaria na província de Guangdong.

Pelo acordo, a Venezuela fornecerá 400 mil barris por dia ao país, cinco vezes mais do que o atual montante.

A Petrochina também negocia com o Catar a construção de um complexo petroquímico no leste da China.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG