pirâmides na Colômbia - Mundo - iG" /

Poupadores frustrados saqueiam pirâmides na Colômbia

Bogotá, 26 nov (EFE).- As sedes de duas pirâmides financeiras em Mocoa foram saqueadas hoje por dezenas de poupadores frustrados que, antes, incendiaram vários veículos da Procuradoria-Geral e bloquearam a estrada de acesso a essa cidade no sul da Colômbia, informaram as autoridades policiais da região.

EFE |

O general Luis Alberto Pérez, comandante da Polícia regional, disse que as desordens começaram com o bloqueio do tráfego entre Mocoa, capital do departamento (estado) de Putumayo, e Pitalito, localidade na região vizinha de Huila.

A passagem foi obstruída por poupadores de entidades ilegais de captação de dinheiro que quebraram ou cujos diretores desapareceram, como Projeções DFRE (Dinheiro Fácil, Rápido e Efetivo) e Euroinversiones (Euroinvestimentos, em espanhol).

Ambas tiveram grande presença junto à DMG, comerciante de produtos e serviços a partir de cartões pré-pagos que entregava a seus investidores e que teve intervenção decretada em 17 de novembro.

A firma, criada em Mocoa, era presidida por David Múrcia Guzmán, que foi detido na semana passada no Panamá, desde onde foi deportado à Colômbia.

O general Pérez disse à imprensa local que, após o desbloqueio do tráfego realizado pela polícia, "vândalos" se dirigiram ao estacionamento da Procuradoria-Geral e incendiaram diversos veículos, sem precisar o número.

Outros foram até os escritórios das "pirâmides" sob intervenção e, em meio a confrontos com a Polícia, as saquearam, acrescentou.

A quebra destas entidades ilegais levou o presidente colombiano Álvaro Uribe a declarar, no mesmo dia 17, o estado constitucional de "emergência social".

Uribe justificou a medida pela "perturbação social" causada pela crise, após centenas de milhares de colombianos perderem seu dinheiro, em uma quantia ainda não calculada de oficialmente. EFE jgh/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG