Poucos estados detêm a chave da Casa Branca

Washington, 2 nov (EFE).- As eleições presidenciais americanas de 4 de novembro serão decididas em alguns estados-chave, muitos deles também fundamentais em 2004 e onde a batalha volta a ser apertada neste ano.

EFE |

O sistema eleitoral americano concede determinado número de votos no colégio eleitoral a cada estado em função de seu tamanho e de sua representação no órgão que finalmente elege o presidente dos Estados Unidos.

Salvo duas exceções, Nebraska e Maine, quem ganha em um estado leva a totalidade dos votos da região no colégio eleitoral.

Para conseguir a Presidência, são necessários pelo menos 270 votos, ou seja, a maioria simples dos 538 do colégio eleitoral.

Como muitos estados americanos costumam repetir suas preferências por democratas ou republicanos nas eleições, o pleito geralmente, a cada quatro anos, é decidido em algumas regiões em que a situação é mais indefinida.

Estima-se que nestas eleições serão 12 os estados onde a disputa será mais apertada. Como oito deles - Ohio, Flórida, Virgínia, Colorado, Nevada, Missouri, Indiana e Carolina do Norte - possuem 111 dos 270 votos no colégio eleitoral, a disputa nessas regiões torna-se decisiva para o resultado final.

Abaixo, a lista desses estados nos quais os candidatos à Presidência, o democrata Barack Obama e o republicano John McCain, precisam vencer se quiserem chegar à Casa Branca: CAROLINA DO NORTE: Quinze votos no colégio eleitoral. O atual presidente George W. Bush superou o democrata John Kerry por 12 pontos em 2004, porém mais de um quinto dos habitantes do estado são negros e os residentes das áreas urbanas do triângulo tecnológico de Raleigh, Durham e Chapel Hills tem preferência por Obama.

As últimas pesquisas mostram um empate técnico entre os dois candidatos, mas a Carolina do Norte não vota em um presidente democrata desde 1976.

COLORADO: Nove votos no colégio eleitoral. Bush derrotou Kerry por 52% a 47% em 2004, mas desde então os democratas conquistaram o controle da legislatura estadual e o posto de governador. As últimas enquetes concedem a Obama uma vantagem de entre quatro e nove pontos.

O Colorado votou em republicanos em 12 das últimas 14 eleições presidenciais. Os democratas ganharam força graças a sua popularidade entre latinos e habitantes de maior escolaridade.

FLÓRIDA: Vinte e sete votos no colégio eleitoral. Bush venceu Kerry em 2004 por 52% a 47% em um estado que se tornou famoso pelas disputadas eleições de 2000.

A disputa na Flórida é tradicionalmente acirrada e McCain precisa levar esse estado para chegar a vitória. As previsões variam de acordo com a pesquisa.

O Real Clear Politics, que faz uma média das pesquisas, aponta um empate entre os dois candidatos.

O estado tem uma taxa de desemprego mais alta que a média nacional e a segunda taxa de execuções hipotecárias do país, fatores que poderiam beneficiar os democratas, já que os eleitores culpam os republicanos, hoje no poder, pela crise financeira.

INDIANA: Onze votos no colégio eleitoral. Bush derrotou Kerry por 20 pontos em 2004 em um estado que votou em democratas pela última vez em 1964.

No entanto, Indiana é vizinha de Illinois, estado pelo qual Obama é senador e onde a campanha democrata injetou diversos recursos.

A vantagem de McCain no estado caiu e, hoje, o Real Clear Politics aponta um empate.

MISSOURI: Onze votos no colégio eleitoral. Bush superou Kerry por 53% a 46% em 2004, nesse que é um dos tradicionais palcos de disputas acirradas.

As previsões no Missouri se complicam já que o estado é uma mistura de centros urbanos, como Kansas City, e áreas rurais bastante conservadoras.

Com a única exceção de 1956, Missouri votou no vencedor em cada eleição presidencial desde 1900. Obama atraiu dezenas de milhares de seguidores em vários comícios no estado este mês. As pesquisas apontam empate entre os dois candidatos.

NEVADA: Cinco votos no colégio eleitoral. Bush derrotou Kerry por apenas 20 mil votos em 2004, em um estado no qual os republicanos se impuseram em oito das dez últimas eleições presidenciais.

Da mesma forma que no Novo México, os hispânicos terão um papel decisivo.

As pesquisas dão vantagem a Obama, embora na média do Real Clear Politics sua superioridade não seja significativa.

NOVO MÉXICO: Cinco votos no colégio eleitoral. Bush derrotou Kerry por menos de seis mil votos em 2004.

Os hispânicos, que representam mais de 40% da população do estado com um popular governador de origem latina, Bill Richardson, favorecem Obama.

As últimas pesquisas colocam Obama com uma larga vantagem sobre McCain.

NEW HAMPSHIRE: Quatro votos no colégio eleitoral. Kerry venceu Bush por 1 ponto em 2004. McCain obteve larga vantagem nas primárias de 2000 e nas deste ano, o que o levou a competir energicamente pelo estado, embora os democratas tenham tomado o controle da legislatura estadual em 2006.

Hillary Clinton venceu as primárias democratas deste ano, mas agora Obama aparece com uma larga vantagem sobre o candidato republicano.

OHIO: Vinte votos no colégio eleitoral. Bush derrotou Kerry por cerca de 120 mil votos no estado que finalmente decidiu a disputa em 2004.

Os eleitores de Ohio optaram pelo ganhador nas últimas 11 eleições presidenciais. Jamais um republicano chegou à Casa Branca sem triunfar em Ohio.

A crise econômica no estado, que sofre com as taxas de desemprego mais altas em 16 anos, fizeram com que a balança se incline para o lado de Obama, que aparece ligeiramente na frente nas últimas pesquisas.

Em 2006, o estado elegeu um governador democrata, pondo fim a 16 anos de domínio republicano.

PENSILVÂNIA: Vinte e um votos no colégio eleitoral. Kerry derrotou Bush por 51% a 48% em 2004, um estado em que a campanha de McCain tentou reverter os resultados.

As últimas pesquisas dão a Obama uma cômoda vantagem.

VIRGÍNIA: Treze votos no colégio eleitoral. Bush ganhou por nove pontos na Virgínia em 2004 em um estado que desde 1964 não vota nos democratas em eleições presidenciais.

Da mesma forma que os outros estados do sul, a Virgínia abandonou os democratas após a Presidência de Lyndon Johnson (1963-1969) perante a insatisfação com as reformas dos direitos civis.

Porém, a Virgínia, que nas últimas décadas deixou de ser um estado rural e conservador e se tornou mais urbanizada e com maior pluralidade política, está agora em jogo.

As últimas pesquisas colocam Obama na frente.

WISCONSIN: Dez votos no colégio eleitoral. Kerry ganhou por apenas 11 mil votos em 2004, mas Obama, que em fevereiro ganhou as primárias de sua adversária, Hillary Clinton, já aparece há vários meses na frente. EFE tb/ab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG