Pouco apoio de doadores à agricultura do Haiti preocupa ONU

ROMA (Reuters) - Apenas 8 por cento do apelo de 23 milhões de dólares para ajudar o Haiti a retomar a produção de alimentos após o terremoto devastador recebeu financiamento, informou a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) nesta sexta-feira. Durante uma reunião de agências da Organização das Nações Unidas (ONU) em Roma, na Itália, um mês após o terremoto, o diretor geral da FAO, Jacques Diouf, advertiu que o Haiti, que já enfrenta uma importante crise de alimentos, carece de recursos necessários à agricultura à medida que se aproxima a estação de plantio.

Reuters |

"A prioridade imediata é o apoio à safra agrícola que começa em março e é responsável por mais de 60 por cento da produção de alimentos", afirmou ele.

Os 23 milhões de dólares necessários para financiar as necessidades agrícolas imediatas do Haiti são parte de um apelo de emergência da ONU de 575 milhões de dólares para ajudar a reconstruir o país.

"Estamos alarmados com a falta de apoio ao item agrícola do apelo de emergência", afirmou Diouf.

A FAO já começou a distribuir sementes, fertilizantes e ferramentas a fim de permitir que os agricultores haitianos plantem para a próxima safra. Plantando agora, os produtos hortifrutigranjeiros estarão prontos apenas em três meses, afirmou Diouf.

Quase 60 por cento dos haitianos viviam na zona rural antes do terremoto de 12 de janeiro, que matou mais de 200 mil pessoas. Oitenta por cento da população sobreviviam com menos de 2 dólares por dia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG