Poucas chances de sobreviventes de avalanche

Equipes de resgate e a ministra do Interior da França disseram que existem poucas esperanças de salvar vários alpinistas que foram arrastados por uma avalanche na região do Mont Blanc. Acredita-se que pelo menos oito pessoas estejam presas debaixo da neve.

BBC Brasil |

Eles estavam entre os alpinistas que foram atingidos por uma muralha de neve de 200 metros de comprimento e 50 metros de largura.

Oito sobreviveram à avalanche e foram levados ao hospital em Chamonix.

A busca por sobreviventes, envolvendo helicópteros e cachorros, foi retardada por temores de novas avalanches.

Autoridades disseram que os oito alpinistas desaparecidos na montanha Mont-Blanc du Tacul incluem cinco austríacos e dois suíços.

Originalmente, acreditava-se que havia dez pessoas desaparecidas, mas a polícia revisou o número e o reduziu para oito.

Porém, a ministra do Interior da França, Michelle Alliot-Marie, disse que era impossível saber com certeza quandos estavam desaparecidos.

A ministra, que vôou para a área na noite deste domingo, disse que "não há mais nenhuma chance de encontrar alguém vivo".

Uma autoridade de busca também disse ao canal de televisão LCI que não havia mais esperanças de encontrar sobreviventes.

Após um dia em que 40 pessoas, com cães treinados, e três helicópteros fracassaram em encontrar qualquer vestígio dos aventureiros desaparecidos, as buscas foram encerradas.

Autoridades disseram que as condições e a ameaça de novas avalanches tornavam a continuidade das operações muito perigosa.

'Parede de gelo'
As oito pessoas salvas seriam cinco alpinistas franceses e três italianos, com idades entre 26 e 37 anos.

Um deles, o italiano Marco Delfini, disse à LCI que viu "uma parede de gelo vir na nossa direção e depois fomos arrastados por 200 metros".

"Eu não fiquei completamente submerso... Eu consegui ajudar os outros", disse.

Acredita-se que a avalanche tenha ocorrido por volta das 3h da madrugada, no horário local (22h de sábado, no horário de Brasília), após um grande pedaço de uma geleira quebrar em uma região mais alta da montanha. Muitas vezes, os alpinitas iniciam o dia bem cedo quando tentam fazer uma caminhada longa.

De acordo com o correspondente da BBC em Paris Hugh Schofield, tem sido um verão perigoso nos Alpes, com cerca de 100 alpinistas mortos desde o 1º de junho na França, Itália, Áustria e Suíça - cerca de 20 deles morreram no Mont Blanc.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG